POR QUE AS PESSOAS PARARAM DE REVELAR SUAS FOTOS?

Quase tudo pronto para minha viagem da virada, estou ansioso para chegada de 2003, quero lembrar de cada momento que vou passar com meus amigos. Ah! Falando nisso, quase esqueço, ainda preciso passar num bazar e comprar um filme para a minha máquina fotográfica. Acho que vou comprar 2 filmes de 36 poses, afinal, ocasiões especiais pedem muitas fotos, não acha?

Já estou imaginando, durante a viagem, não vão faltar momentos para registrar: eu e meus amigos na frente da casa de praia, aquele pôr-do-Sol, a galera em volta da mesa, os fogos. Vou deixar tudo preparado, para não correr o risco de queimar nenhuma foto, acontece, né?

Para quem não vivenciou esta época, acredite se quiser, era normal comprarmos um filme, registrarmos com todo cuidado todos os momentos importantes e revelarmos depois. As fotos ficavam expostas em nossa casa, álbuns, não era preciso ir até o museu ou galeria de arte para apreciá-las. Ok, fui um pouco longe, mas me acompanha. Olhando alguns anos atrás, conseguimos notar o quanto evoluímos.

Lembra o quão inovador foi quando aquele celular de flip começou a tirar fotos? Hoje, câmeras fotográficas e celulares, estão quase virando uma coisa só.  Fotografamos de tudo, até aquilo que não precisa ser fotografado, privacidade está virando lenda. Por um lado, a foto nunca esteve tão no centro das atenções quanto está hoje, mas por outro, ela nunca foi tão desvalorizada. Bom, estou aqui justamente para te convencer do contrário.

Tudo fica documentado numa tela, se não é na tela do smartphone, é na tela do computador, da máquina fotográfica profissional ou projetada numa TV para a família ver como foi sua última viagem, mas calma, só mostramos apenas uma parte das 2.000 fotos que tiramos. Muitas vezes, usamos a velha desculpa do "foi só para registrar", mas no fundo, sabemos que nunca vamos voltar a vê-las novamente.

Você lembra como era ou já teve a sensação de mostrar um álbum de fotos para alguém? Contar as histórias de cada foto, ter a sensação de pegar um registro que traz boas lembranças nas mãos? Colocá-los num porta-retratos ou até mesmo presentear alguém querido?

Por um bem maior, vamos revelar algumas fotos dos gatinhos que tiramos na ONG Adote um Gatinho e expor no Rolê das Patas, com o apoio da galera do Nicephotos, que ainda prezam por bons momentos fora de uma tela.  

Então, tenho um convite para você: todo mês, selecione suas fotos preferidas, revele, faça um fotolivro, dê de presente ou simplesmente, deixe em algum lugar que você possa apreciar.

É apenas mais uma forma de eternizar sua arte ou simplesmente, despertar boas memórias e sensações.

Você vai se surpreender com o poder de uma foto fora da tela de um computador.