amigos

FAMÍLIA ANTILITY

 

A Ana é uma fotógrafa de São Paulo, que está sempre por dentro do que a colônia do Brasil está fazendo ou falando. 

Juntando a paixão por fotos e viagens, a Ana deu um pulo no Recife para acompanhar de perto o #AntMeet e veio contar como foi. 

Acompanhe a Ana no Instagram.

 

ANTMEET RECIFE

Embora já tivesse enfrentado muito calor no segundo #InstameetBlack, nada se comparou aos 35ºC com sensação térmica de 100ºC, que estava registrando naquela sexta-feira, 25 de março de 2016, em Boa Viagem, Recife.

O ponto de encontro do #AntMeetRec foi no Parque Dona Lindu, um espaço incrível de lazer e cultura no coração da cidade, com o projeto arquitetônico assinado por Oscar Niemeyer. Ficamos bem felizes, pois era feriado, dia de almoço com a família, e ainda assim, 38 Instagrammers estavam lá. A maioria, pela primeira vez, era Recife, Petrolina e São Paulo, unidos pela paixão por fotografia, conhecer gente nova e principalmente, fazer parte de algo maior.

Esqueci de mencionar, mas estava tão perto da praia, que era só atravessar a rua para colocar os pés na areia, coisa que paulistano não está acostumado, né?

No início, eu, Tato e Binho nos apresentamos, falamos um pouco sobre o que fazemos da vida e em seguida, contei sobre o Antility, como surgiu, nossos pilares e o quanto o sentido de comunidade é importante e deve ser levado adiante. Pude perceber pelos sorrisos nos rostos dos ouvintes, sobre o quanto partilhar de um mesmo ideal, é vital para alcançarmos grandes mudanças.

Conversei com algumas pessoas, mas uma em especial, me chamou a atenção. O nome dela é Abigail (@abijailds), vive em Petrolina, estava visitando a família em Recife e resolveu nos encontrar. Abigail, é uma menina ainda, mas foi protagonista de uma das cenas mais bonitas que já vi no mundo do Instagram. Ela abriu um lindo sorriso, com os olhos brilhando, ao encontrar a Amanda Pietra (@amandapietrac), fotógrafa e Instagrammer pernambucana, que ela admira muito. A euforia e emoção foi tanta, que emocionou tanto eu, quanto a Pietra, que tratou de dar uma recepção bem calorosa à Abigail.

A colônia de Recife me ensinou muito sobre algo que tem grande significado no coração de todos. Durante o #AntMeet, todos se espalharam, ficaram à vontade, indo e vindo em grupos ou sozinho, sempre se cumprimentando com abraços apertados, dividindo lanches e bebidas. Concluí que todos eles têm muito a nos ensinar sobre família.

Voltei para São Paulo com mais uma lição aprendida: família e amigos dão sentido à nossa jornada, com a força de todos, podemos fazer a diferença na vida das pessoas e nada melhor do que ter a fotografia como desculpa.

Fique ligado nos próximos AntMeets, que podem acontecer na sua cidade. 

 

 

 





POR QUE AS PESSOAS PARARAM DE REVELAR SUAS FOTOS?

Quase tudo pronto para minha viagem da virada, estou ansioso para chegada de 2003, quero lembrar de cada momento que vou passar com meus amigos. Ah! Falando nisso, quase esqueço, ainda preciso passar num bazar e comprar um filme para a minha máquina fotográfica. Acho que vou comprar 2 filmes de 36 poses, afinal, ocasiões especiais pedem muitas fotos, não acha?

Já estou imaginando, durante a viagem, não vão faltar momentos para registrar: eu e meus amigos na frente da casa de praia, aquele pôr-do-Sol, a galera em volta da mesa, os fogos. Vou deixar tudo preparado, para não correr o risco de queimar nenhuma foto, acontece, né?

Para quem não vivenciou esta época, acredite se quiser, era normal comprarmos um filme, registrarmos com todo cuidado todos os momentos importantes e revelarmos depois. As fotos ficavam expostas em nossa casa, álbuns, não era preciso ir até o museu ou galeria de arte para apreciá-las. Ok, fui um pouco longe, mas me acompanha. Olhando alguns anos atrás, conseguimos notar o quanto evoluímos.

Lembra o quão inovador foi quando aquele celular de flip começou a tirar fotos? Hoje, câmeras fotográficas e celulares, estão quase virando uma coisa só.  Fotografamos de tudo, até aquilo que não precisa ser fotografado, privacidade está virando lenda. Por um lado, a foto nunca esteve tão no centro das atenções quanto está hoje, mas por outro, ela nunca foi tão desvalorizada. Bom, estou aqui justamente para te convencer do contrário.

Tudo fica documentado numa tela, se não é na tela do smartphone, é na tela do computador, da máquina fotográfica profissional ou projetada numa TV para a família ver como foi sua última viagem, mas calma, só mostramos apenas uma parte das 2.000 fotos que tiramos. Muitas vezes, usamos a velha desculpa do "foi só para registrar", mas no fundo, sabemos que nunca vamos voltar a vê-las novamente.

Você lembra como era ou já teve a sensação de mostrar um álbum de fotos para alguém? Contar as histórias de cada foto, ter a sensação de pegar um registro que traz boas lembranças nas mãos? Colocá-los num porta-retratos ou até mesmo presentear alguém querido?

Por um bem maior, vamos revelar algumas fotos dos gatinhos que tiramos na ONG Adote um Gatinho e expor no Rolê das Patas, com o apoio da galera do Nicephotos, que ainda prezam por bons momentos fora de uma tela.  

Então, tenho um convite para você: todo mês, selecione suas fotos preferidas, revele, faça um fotolivro, dê de presente ou simplesmente, deixe em algum lugar que você possa apreciar.

É apenas mais uma forma de eternizar sua arte ou simplesmente, despertar boas memórias e sensações.

Você vai se surpreender com o poder de uma foto fora da tela de um computador.

 





8 DICAS PARA FOTOGRAFAR SEU PET

DESCUBRA COMO TIRAR LINDOS RETRATOS DO SEU MAIOR COMPANHEIRO.

Domingo (11/04), eu (Bruno Mello) e mais 14 membros da colônia, iremos visitar a ONG Adote um Gatinho, em São Paulo, para fotografar alguns dos lindos felinos e levar o #ADOTEGRAM adiante.

Convidei o Antony Adriano, que retrata tudo o que o Gato Honey faz, para colaborar com dicas que podem te ajudar a fotografar seu pet. Spoiler: paciência é fundamental.

1. USE LUZ NATURAL

Quem fotografa, já sabe que a luz natural é sempre uma boa pedida. Evite o flash, pois isso pode deixar o animal assustado. Tente sair lá fora ou use um cômodo com uma janela grande.

2. FOCO NA EXPRESSÃO

A expressão facial é importante em qualquer tipo de retrato, no caso dos pets, o foco deve ser nos olhos. Eles podem ser bem expressivos.

3. SIGA

É importante que o pet sinta-se confortável, ao invés de forçá-lo a vir até você, vá até onde ele está. Tente novos ângulos, de baixo para cima, por exemplo. Mostre como ele enxerga o mundo!

4. USE MACRO

Seja discreto, movimente-se lentamente, chegue bem perto e clique. Retratos aproximados de animais sempre geram bons resultados.

5. SURPREENDA

Deixe o pet brincar à vontade com seus brinquedos, e quando ele menos esperar, chame sua atenção. Aproveite os segundos para capturar sua postura e expressão.

6. BRINQUEDOS SEMPRE AJUDAM

Todo gato ou cachorro tem um brinquedo preferido, use aqueles que deixam os pets mais concentrados, como bolinhas que fazem barulho, cordinhas ou até mesmo, novelos de lã, que também podem ajudar a compor sua foto.

7. CHAME UM AMIGO

Seu amigo pode ajudar a distrair o pet para deixá-lo no melhor ângulo, enquanto você concentra-se apenas na foto.

8. EXPERIMENTE

Tire um tempo para aproveitar o máximo da sessão de fotos, dê snacks para distrair seu pet, tente diferentes abordagens, ângulos e composições. Tire muitas fotos e preocupe-se com o resultado apenas depois.

BÔNUS: SEJA PACIENTE.

Já havia dado o spoiler ali em cima. Fotografar um pet requer muita paciência, o importante aqui é deixá-lo à vontade e relaxado, assim, você terá a oportunidade de tirar lindas fotos.

Ainda não tem um pet para chamar de seu? Confirme presença no Rolê das Patas e adote.

Acompanhe o #ADOTEGRAM e venha mudar o mundo com a gente!