entrevista

POR DENTRO DA COLÔNIA: @IZABELAFARDIM

HOJE É DIA DE VISITAR NOSSA COLÔNIA E CONHECER UM POUCO MAIS SOBRE A IZABELA FARDIM, DE VITÓRIA, ESPÍRITO SANTO.

Qual é a sua história?

Meu gosto pela fotografia começou há cerca de 7 anos, como um hobby, tirava fotos para me libertar do cansaço da rotina e para expor meu olhar sobre coisas que todo mundo vê, mas enxerga de jeitos diferentes. Hoje, estou concluindo minha faculdade de engenharia civil e carrego a fotografia como profissão. Posso afirmar que isso me traz uma imensa satisfação.

Como você descreveria seu estilo fotográfico?

Não carrego um estilo só, fotografo o que acho interessante e o que me traz boas sensações. Minhas fotos favoritas são as que estou com minha irmã, pois além de gêmeas, partilhamos da mesma paixão.

Você tem algum projeto que gostaria de dividir?

No momento, não tenho nenhum projeto de autoria própria, mas procuro fazer parte de alguns que me identifico. Sempre que possível, procuro participar de meets, é incrível!

Quais são os Instagrammers que mais te inspiram e por quê?

Para mim, a comunidade representa uma escola, onde todos nós podemos aprender e buscar inspirações. A forma como cada um expõe seu olhar, me fascina, além da oportunidade de criar novos contatos e amigos que certamente levarei para sempre. Entre tantos perfis que admiro, destaco o Dan (@dmoraes), o Bruno (@brunogoomes) e o Tato (@vijanueva), a singularidade de cada um me encanta.

Se você pudesse dar um conselho para alguém que está começando a fotografar, qual seria?

Procure explorar os lugares que te atraem e conhecer outros nunca explorados, cada canto carrega particularidades únicas. Deixe-se levar, e claro, não perca um único momento. Para o tratamento final, o app que mais utilizo é o VSCO, mas tenho me rendido ao Polarr.

Continue visitando nossa colônia e acompanhando a Izabela em seu perfil no Instagram.





POR DENTRO DA COLÔNIA: @ANTONYADRIANO

HOJE É DIA DE VISITAR NOSSA COLÔNIA E CONHECER UM POUCO MAIS SOBRE O ANTONY ADRIANO, DE SÃO PAULO.

Qual é a sua história?

Nasci em Quixeramobim, um município do Ceará. Mudei para São Paulo com minha família, quando ainda tinha 4 anos de idade, e desde então, estou aqui. Sou formado em Produção Multimídia, comecei minha carreira audiovisual com Motion Design e aos poucos fui expandindo minha experiência para edição, fotografia e direção. Descobri o Instagram bem no início, e assim, fui ficando mais motivado a explorar detalhes do meu dia-a-dia. Hoje compartilho meu olhar por lá. Entre minhas maiores paixões estão: design, cinema, cultura pop, fotografia e meu gatinho Honey (@gatohoney).

Como você descreveria seu estilo fotográfico?

Minha vida é meu estilo, dificilmente fotografo algo que não seja espontâneo. Meu feed é composto por cenas e experiências, seja da janela do ônibus, de um objeto dentro de casa, do retrato de um amigo ou algo que tenha despertado o interesse do meu olhar. Gosto muito de cores quentes e aprecio simetria, uma seguidora comentou que acha meu estilo parecido com o do cineasta Wes Anderson, fiquei extremamente feliz com a comparação.

Você tem algum projeto que gostaria de dividir?

Tenho vários projetos no qual desenvolvi ou colaboro. Criei um perfil dedicado à vida do meu gato: @gatohoney, que já foi usuário sugerido do Instagram. Tem o perfil coletivo de vídeo que fundei com dois amigos, sobre nosso olhar pela cidade: o @loscabras, também sugerido duas vezes pelo Instagram. Em parceria com minha amiga @layleonardo, criei o @BrasilMostraTuaCapa e a hashtag #BrasilMostraTuaCapa, o público tem adorado o resultado e colaborado com fotos incríveis. Com este último projeto, já expomos duas vezes nos Estados Unidos e uma vez em Madrid. Além desses pessoais, desenvolvo fotos para algumas marcas: @ketelonebrasil @hi.urbanpet @instaprojetocorpo @languageinmotion.

Quais são os Instagrammers que mais te inspiram e por quê?

O trabalho da @meagancignoli é simplesmente incrível, ela faz vídeos em stop motion com muito capricho, sem dúvidas uma grande referência. As fotos do Junior Macedo (@jnrrrr) sempre me emocionam pelas memórias de minha vida no Nordeste, suas cores são vivas e reais. Adoro acompanhar marcas no Instagram, mas nem todas fazem um trabalho alinhado a proposta da plataforma, o @walkinglove é exceção, um perfil exemplar e de muito bom gosto. É simples, bem feito e me passa boas impressões.

Se você pudesse dar um conselho para alguém que está começando a fotografar, qual seria?

Para iniciantes, meu maior conselho é fotografar bastante, experimentar diferentes estilos até encontrar o que mais te empolga e satisfaz como resultado. Até hoje, tenho dificuldade em ter uma única direção ou foco numa temática, então, estou sempre aprendendo e explorando coisas diferentes. Mas arrisco dizer que o mais importante é tentar deixar sua marca ou principal característica sempre presente, seja cores, enquadramento, tema, filtro, algo que identifique sua identidade como fotógrafo. Costumo repetir alguns temas e sempre uso a mesma cartela de filtros do VSCOcam, que para mim, é o melhor app de edição de imagens.

Continue visitando nossa colônia e acompanhando o Antony em seu perfil no Instagram.





POR DENTRO DA COLÔNIA: @IZABELFARDIM

HOJE É DIA DE VISITAR NOSSA COLÔNIA E CONHECER UM POUCO MAIS SOBRE A IZABEL FARDIM, DE VITÓRIA, ESPÍRITO SANTO.

Qual é a sua história?

A paixão por fotografia surgiu há cerca de 7 anos, pelo interesse em registrar coisas a minha volta de uma forma diferente. Até então, levava como hobby, mas de uns anos para cá, tenho como profissão. Hoje, sou serventuária da justiça e fotógrafa, sempre buscando inspirações e crescimento.

Como você descreveria seu estilo fotográfico?

Tenho em mim, todas as formas de fotografia, assim procuro expressar sentimentos distintos em cada uma. Não carrego um estilo próprio.

Você tem algum projeto que gostaria de dividir?

Por enquanto, não tenho nenhum projeto, mas procuro sempre participar de meets, me entrosar com outros usuários e partilhar da mesma paixão.

Quais são os Instagrammers que mais te inspiram e por quê?

A comunidade representa para mim, um mundo fotográfico, repleto de olhares diferentes. Levo como inspiração, os momentos vividos por cada um desses olhares, cada lugar registrado. Entre tantos perfis que admiro, carrego um carinho enorme pelo Dan (@daniielgomes), Rafael (@rafael_fontana) e o Fábio (@fabiooliveira).

Se você pudesse dar um conselho para alguém que está começando a fotografar, qual seria?

Procure capturar tudo diante de seu olhar, cada registro é único e traz uma história consigo. Explore todos os lugares com olhares diferentes, e saiba que da próxima vez que voltar, estará tudo modificado. Para o tratamento final, costumo usar o VSCO, mas me aventuro no POLARR também.

Continue visitando nossa colônia e acompanhando a Izabel em seu perfil no Instagram.

 





POR DENTRO DA COLÔNIA: @PAULINHOHOP

Hoje é dia de visitar nossa colônia e conhecer um pouco mais sobre o Paulo Henrique, de Campinas, São Paulo.

Qual é a sua história?

Meu amor por fotografia nasceu quando retornei de uma viagem ao Rio de Janeiro, há dois anos. Cercado por aquelas paisagens lindas, tirei uma foto qualquer com meu celular,  e percebi o quanto ela havia ficado boa. Então, comecei a me dedicar melhor ao meu perfil no Instagram. Desde então, fico surpreso com o que vejo diariamente por lá. Agora, com 19 anos, trabalho em uma loja de música e no meu tempo livre, danço hip-hop. Vivo para o que realmente gosto de fazer.

Como você descreveria seu estilo fotográfico?

Já explorei vários estilos, mas hoje posso dizer que ele é livre, só depende do meu olhar. Amo paisagens e natureza.  Difícil dizer qual é minha favorita, mas uma vez, fui sortudo ao tirar uma foto do Morro Dois Irmãos, no Rio de Janeiro, onde uma bola tomou a cena bem na hora que cliquei na câmera.

Você tem algum projeto que gostaria de dividir?

Há um tempo atrás, lancei a tag #ShadowsPortraitFriends no Instagram, são retratos que misturam amigos e sombras. Todos podem contribuir com fotos. Ultimamente, tenho divulgado pouco, mas pretendo retornar em 2016 de uma forma mais impactante.

Quais instagrammers que mais te inspiram e por quê?

Sem dúvidas, o primeiro é o Ravi Vora (@ravivora), suas fotografias são incríveis e trazem uma sensação de liberdade. As edições do Jordan Herschel (@jordanherschel) me inspiram muito, ele é um fotografo sem igual. E por último, meu xará, Paulo Del Valle (@paulodelvalle), o simples fato dele ser brasileiro, já me prende ao seu perfil, suas fotos me fazem querer conhecer cada canto do mundo.

Se você pudesse dar um conselho para alguém que está começando a fotografar, qual seria?

Escute todos, mas não faça o que todos falam, siga seu coração. Saia do conforto, se você já fotografou um lugar, volte lá e faça melhor, nós estamos em constante mudança. A natureza é meu lugar preferido para fotografar, descubra qual é o seu, sua inspiração vai estar sempre lá. Inspire-se em alguém, mas lembre-se que tudo o que vale, é o que você faz.

Continue visitando nossa colônia e acompanhando o Paulinho em seu perfil no Instagram.