instagrammer

O QUE VOCÊ PLANEJA FAZER COM SUA ÚNICA VIDA?

UM PEDACINHO DE MUNDO MUDADO.

Não sei se é só um clichê de final de ano acordando, mas gosto bastante de fazer retrospectivas - do dia, da semana, do ano. E sempre quando as faço, é impossível não me questionar sobre a diferença que ando fazendo no mundo.

A gente anda tão intimidado com o tamanho dele, que acabamos nos sentindo pequenos para tal tarefa e nos esquecemos das coisas simples que estão ao nosso alcance.

Será que estou sendo alívio para o cansaço dos que me cercam? Ainda consigo me preocupar com os problemas dos meus queridos, mais do que com os meus? Faço questão de dizer a eles o quanto são importantes para mim?

Meus amores sabem que são amados? Eu ainda olho nos olhos? Dou bom dia para o motorista do ônibus, mesmo não recebendo um cumprimento de volta? Sorrio para aquele frentista que abastece meu carro todo dia ou só o ignoro como todos que passam por ali? Eu ainda dou flores e mando cartas? Ainda sei pedir por favor e obrigado?

O simples faz muita diferença sim. E quando a gente se propõe a fazê-lo, talvez não estejamos mudando o mundo inteiro, mas já estaremos mudando o mundo dos que passam por nós, não é? E isso basta. Já é um pedacinho de mundo mudado.

Autor: Richard de Assis, membro da colônia Antility de Brasília.

 





O QUE FAZEMOS JUNTOS SEMPRE SERÁ MAIOR DO QUE SOZINHOS

EXPOSIÇÃO: UM OLHAR PELO VELHO CHICO

Desde o nascimento do Antility, esta história foi a maior prova de que uma colônia unida por um sonho pode fazer muito mais do que uma formiga solitária.

A Drica (@dricadavino), junto com a Luma (@lumaasouza), a Hellen (@hbm31) e mais uma colônia local, está mudando a forma como Juazeiro e Petrolina enxergam a fotografia. No dia 21 de outubro de 2016, aconteceu a exposição "Um olhar pelo Velho Chico" na Universidade do Estado da Bahia (UNEB), em Juazeiro. Era só o começo de uma pequena grande jornada.

ANTILITY NO VALE DO SÃO FRANCISCO

"Os meets daqui são sempre incríveis, as pessoas nos surpreendem com seus sentimentos em relação ao Antility. A fotografia nos tira da zona de conforto, é como se fosse algo transbordando de mim mesma, não me enxergo sem registrar momentos, mesmo que sejam apenas em minha cabeça. E estes que vou contar agora, já fazem parte de minha história de vida.

No meio de tantas mensagens nos grupos daqui, decidimos nos reunir para falar sobre nossos anseios e acabamos refletindo sobre a situação ambiental local. O rio São Francisco margeia nossa cidade, mas está morrendo pouco a pouco. Tanto a indústria quanto a prefeitura vivem despejando lixo e esgoto por lá. Em nome do desenvolvimento da região, resolvemos que era preciso fazer algo a respeito, por menor que fosse.

O Pablo (@pabloluan0) e a Carine (@car.fernandes), nos contou sobre um festival na UNEB e da oportunidade de levarmos uma exposição de fotos para lá. Queríamos mostrar que apesar de tudo, o rio São Francisco ainda é belo e precisa ser preservado.

Nos inscrevemos e fomos escolhidos. Vitória? Não, só o começo de uma luta."

A JORNADA

"A gente só entende as dificuldades quando nos empenhamos em fazer algo. Precisávamos encontrar parceiros para a impressão das fotos, mandei e-mails, andei no centro da cidade atrás de gráficas apresentando nossa ideia, não foi uma semana fácil. Faltavam apenas dois dias para a exposição, estava quase desistindo até ser salva pelo Paulo (@paulosantana.com.br). Ele trabalha na Compor (@equipecompor) e simplesmente fez a parceria acontecer nos 45 minutos do segundo tempo. As fotos ficaram lindas, seremos eternamente gratos a eles.

Bom, as fotos só ficaram prontas no dia da exposição e estava tudo certo para que eu fosse buscar no estúdio. Mas tudo começou a dar errado: perdi o ônibus, esqueci minha sandália e o cartão do ônibus. Então, o Luan (@_luanprado), outro membro do Antility, acabou indo na frente para pegar as fotos. Tudo pronto! Quer dizer, não. Ainda não havíamos resolvido um ponto importante: como íamos expôr as fotos?

Andamos no centro atrás de varal, mas não encontramos pregadores. Atravessamos a cidade, pegamos um ônibus, descemos no ponto errado, nos esforçamos para deixar a exposição impecável. Ok, hora de ir até a faculdade, onde aconteceria o Festival, mas tinha um pequeno problema: não sabíamos ao certo como chegar lá.

Não conseguimos nos encontrar com a Iana (@ianajuliaabm), outro membro daqui, ela ia nos levar até o lugar. O jeito foi sair perguntando, dobrando esquinas aleatórias... Então, nos deparamos com um cara que pediu ajuda para empurrar seu carro, que não estava funcionando. O Luan (@_luanprado) ajudou e quando o carro ligou, pediu para que o desconhecido nos desse uma carona. Fiquei com muito medo, mas se não fosse essa carona, não teríamos chegado no horário certo."

UM OLHAR PELO VELHO CHICO

"Chegando lá, perguntamos aos organizadores onde iríamos expor. Nos deixaram livres para escolher o lugar, era mais um desafio começando. Queríamos um lugar onde houvesse passagem de gente, no fim, encontramos um espaço entre uma árvore e um poste na entrada. A Luma (@lumaasouza) chegou, e logo foi atrás de um pisca-pisca para improvisarmos, detalhe: um cara tropeçou e quebrou no final, mas tudo bem, faz parte.

Posso fazer uma pausa para um agradecimento especial? A Carine (@car.fernandes), outra membro do Antility, emprestou sua casa para tomarmos banho e beber água.

No fim, a jornada valeu à pena, deu tudo certo. A exposição ficou incrível e rendeu muitos comentários positivos, além de dúvidas e sorrisos provocados por cada foto. Gilmar Santos, um professor e vereador de Petrolina, amou a exposição e a ideia de pessoas fazendo acontecer juntas. Outros professores da faculdade também dividiram seus sentimentos em relação à fotografia, além dos outros membros que foram nos prestigiar.

Espero que o futuro do Antility aqui e no resto do Brasil, seja de pessoas mais engajadas com os movimentos, fazendo mudanças verdadeiras e ajudando como podem. Não importa o tamanho da sua ação, grande ou pequena, o que importa é que juntos sempre podemos fazer mais."

Você é o movimento. Você é #Antility.

 





VOLTA AO MUNDO EM 14 DIAS

UM CONCURSO DA MOMENT NO INSTAGRAM

Junte-se ao concurso de foto #makeyourworldbigger e você pode ganhar até 3.000 dólares e viajar o mundo.

Antes do dia 16 de Agosto, publique uma foto no Instagram que foi tirada com seu celular e conte porque o lugar, as pessoas ou a cultura registrada desafiaram o jeito que você olha para o mundo. Marque a foto com o perfil @moment, use a hashtag #makeyourworldbigger, e coloque o local que a foto foi tirada.

Os instagrammers @pketron, @jontaylorsweet e @filmandpixel vão selecionar os finalistas, baseado na qualidade visual da foto e na profundidade da história, que deve transmitir o impacto causado na maneira que você enxerga o mundo.

Quatro finalistas irão receber cerca de 1.000 dólares em prêmios da @moment, @onabags, @artifactuprising e @VSCO.

O grande vencedor receberá 2.000 dólares de subsídio da Delta Airlines e do Airbnb, bem como a impressão da Artifact Uprising e 7 pacotes de edição do VSCO.


EXEMPLO

"Já se passaram alguns meses desde minha viagem para Havana, mas os sons e vistas da cidade ainda estão comigo. Em um instante, eu posso me levar de volta às ruas movimentadas da cidade, sentir o ar quente, empoeirado com cheiro de escapamento e ouvir o grito do vendedor de pão chamando atenção para que sua presença seja notada. Eu fecho meus olhos e sinto o estrondo dos carros antigos circulando, ouço a música vindo de uma porta aberta por perto e o espírito de diversão de um grupo de dançarinos me convidado para uma salsa rápida."

"Já se passaram alguns meses desde minha viagem para Havana, mas os sons e vistas da cidade ainda estão comigo. Em um instante, eu posso me levar de volta às ruas movimentadas da cidade, sentir o ar quente, empoeirado com cheiro de escapamento e ouvir o grito do vendedor de pão chamando atenção para que sua presença seja notada. Eu fecho meus olhos e sinto o estrondo dos carros antigos circulando, ouço a música vindo de uma porta aberta por perto e o espírito de diversão de um grupo de dançarinos me convidado para uma salsa rápida."


REGRAS DO CONCURSO

Cronograma:

- As inscrições foram abertas no dia 2 de Agosto, 2016 às 12PM (PST).

- As inscrições serão fechadas no dia 16 de Agosto, 2016 às 12PM (PST).

- Os quatro finalistas serão anunciados perto do dia 23 de Agosto.

- O grande vencedor será selecionado por votos dos quatro finalistas.

Direcionamentos:

- Publique sua foto e marque antes do dia 16 de Agosto às 12PM (PST).

- Use o perfil da @moment e a hashtag #makeyourworldbigger na legenda.

- Marque a localização onde a foto foi tirada.

- Escreva 2 ou 3 sentenças na história que conta como o lugar, as pessoas ou a cultura capturada na foto desafiou o jeito que você olha para o mundo.

Cada foto inscrita deve ser:

- Tirada com um celular.

- Apenas sua e publicada na sua própria conta do Instagram.

- Publicada e tagueada durante o período do concurso.

- Não violar os Termos de Uso e Guia de Comunidade do Instagram.

Você pode inscrever até 3 fotos, desde que cada inscrição seja única, tanto a foto quanto a legenda. A foto deve ser publicada durante o concurso e não serão aceitas tags em fotos antigas.

Prêmios:

Cada um dos quatro finalistas vão ganhar:

- Kit de fotografia mobile da Moment - Valor: 600 dólares

- Ona "The Claredon" Bag - Valor: 160 dólares

- Impressões da Artifact Uprising - Valor: 100 dólares

- 1 pacote de filmes do VSCO

O grande ganhador irá receber:

- Um voucher de 1.000 dólares da Delta Airlines.

- Um vale-presente de 1.000 dólares do Airbnb.

- Impressões da Artifact Uprising Prints no valor de 250 dólares.

- 7 pacotes de filmes do VSCO.

- Um artigo destaque no Momentist.

As regras completas estão aqui.

Estamos ansiosos para ver a colônia participando deste concurso.

Texto original publicado no Momentist.

 





ONDE SUA ARTE ESTÁ INDO PARAR?

DEIXE SEU NOME NO MUNDO LANÇANDO UM LIVRO

Já parou para refletir sobre sua rotina fotográfica? Ter um equipamento ou um smartphone, observar, encontrar o melhor momento, enquadrar, fotografar. Escolher a melhor edição e publicar a foto em alguma rede social. E depois?

A Imara Queiroz, da Colônia do Nordeste do Brasil, uniu forças com sua amiga Geneceuda Monteiro, e foi além, lançando o livro "É tudo. Muito. Di-verso."

Fotos podem ser muito mais do que imagens congeladas e palavras, muito mais que interpretações. A vida não precisa ser levada ao pé da letra. Então, o que será que acontece quando juntamos fotografia e poesia?

"Ser imagem que cabe em um poema e ser um poema que cabe em um olhar." - o trecho do livro "É tudo. Muito. Di-verso” resume isso.

A proposta é ser tão simples quanto uma "twittada" poética e veloz como um "flash" fotográfico. Você pode entender de perto comprando o seu aqui.

Um livro, é apenas um exemplo de onde o resultado de suas fotos pode chegar. Quando fotografamos, guardamos momentos que expressam parte de nosso olhar. Tudo aquilo que você expressa, pode ser muito maior do que você imagina.

A hora de ser grande é agora, e não depois.

Eternize sua fotografia, crie um legado de sua arte.

 





POR DENTRO DA COLÔNIA: @BRUNOGOOMES

VISITE NOSSA COLÔNIA E CONHEÇA UM POUCO MAIS SOBRE O BRUNO GOMES, DE SÃO PAULO.

Qual é a sua história?

Tenho contato com fotos desde meus 15 anos, pois foi quando pude perceber o sentido e propósito que ela deu em minha vida. Hoje, sou formado em fotografia e trabalho com design, que é outra paixão. Costumo dizer que a fotografia é uma extensão de quem eu sou.

Como você descreveria seu estilo fotográfico?

É uma interpretação do que sinto e do que me inspira. Gosto de fotografar a simplicidade, o urbano e as pessoas. Mas prefiro não me limitar a uma categoria, já que cada dia me sinto inspirado por algo diferente.

Você tem algum projeto que gostaria de dividir?

Sim, é um dos maiores prazeres que tenho, o projeto que levo com meu irmão. Para conhecer e acompanhar, visite nosso site.

Quais são os Instagrammers que mais te inspiram e por quê?

Acho demais a possibilidade que temos de criar amizades, conhecer histórias e inspirar criatividade por meio do Instagram. Entre os muitos perfis que admiro, posso citar o @chuck, o @samuelelkins e o @oveck, que fazem um trabalho único e incrivelmente lindo.

Se você pudesse dar um conselho para alguém que está começando a fotografar, qual seria?

Treine e mantenha-se sempre inspirado. Além disso, explore seu equipamento e o lugar que você vive, acredite, tem muita coisa linda por perto que muitos não enxergam. Eu, por exemplo, aproveito os lugares presentes no meu dia-a-dia e as coisas simples que me cercam, como um feixe de luz atravessando a janela do meu trabalho. Para editar, gosto da combinação do VSCO com o Snapseed.

Continue visitando nossa colônia e acompanhando o Bruno em seu perfil no Instagram.